Breaking News
GIF Livros - 728x90

“Mudaram as estações”

  E porque todos estão felizes nas fotos e usaram maquiagem o suficiente para parecerem mais bonitos não quer dizer muita coisa além disso. Acordar e dormir junto e fazer sexo com amor e discutir na hora do almoço ou chorar no trem de saudade de qualquer coisa: quem faz um álbum destes momentos? E faria para quê? Você não quer preocupar ninguém, você não quer desiludir quem te ama dizendo ” tá tudo azul, mas não é um mar de rosas”. Você não quer desiludir a si mesmo porque fica muito mais difícil assim. A vida não tem photoshop …

Read More »

Quando Há Feto

Uma ventania no meu corpo ventre, afeto se exacerba se há feto após semente. Mudo o meu semblante, pele, poros, valores, planos. Será, talvez, o único amor onde não caibam desenganos. Todas as minhas formas vão se amoldando. Há além de um EU, um ser tão MEU, que sendo em si dentro de mim, é também Mundo. Uma ventania no meu corpo ventre mudou todos os meus rumos. Como te dizer, se ainda desconheço a tua face, deste amor que já é tão profundo? (Flor que desabrocha, pétala por pétala. Tantas no jardim, mas só me atento a esta). Eu …

Read More »

B. de Amor!

Hoje, pela primeira vez eu chamei B. de MEU AMOR. Foi tão espontâneo que nos espantamos simultaneamente, mas depois o sorriso dele foi se alargando até encostar no meu. Nunca voltei mais cedo para casa por causa de B., mas hoje eu tive muita vontade de encompridar o nosso tempo juntos: sempre tão descontinuado pela crueldade de um despertador que nos desabraça na hora mais delicada do nosso chamego. B. nunca foi insistente ou invasivo. B. não quer namorar a poeta, B. me trata como musa e aprecia o que escrevo, ele quer namorar o ser humano inteiro. Ele me …

Read More »

Carta Para M.

Meu querido M., Estou tão cansada. Estou tão, tão cansada! Minha vida tem sido um amontoado de palavras, M. Quase não falo, mas escrevo tudo o que não escrevi durante toda a minha existência. E tenho refletido sobre esta relação obsessiva que o escritor tem com a palavra. Pois, apesar da minha profunda necessidade dela, sua aproximação é muito tímida às vezes, e fico com todos os meus sentimentos desamparados de frases. Apenas sentir, sentir, sentir demais me entorpece, instiga minha insanidade e provoca uma profusão de diálogos e monólogos absurdos dentro de mim. Será que alguém repensa a própria …

Read More »

Sem Recalques

As minhas entregas são definitivas no agora para sempre hoje. Não me importa o seu medo, teus motivos, tuas fugas. Eu me entorno no que faço, viro a coisa inteira, não tomo a atitude, me torno a própria. Eu não escolhi a minha intensidade, ela veio com muita personalidade e uma quase autonomia. Não pretendo o gozo, busco o Nirvana. Sou flexível ou radical por uma questão de experiência. Eu sobrevivo às frustrações e me responsabilizo pelas minhas desistências. A minha adaptabilidade foi conquistada através de uma profunda reflexão, o que não quer dizer que eu aja por conveniência se …

Read More »

Superação

Trago no corpo Cicatrizes subcutâneas. Trago no olhar Uma tristeza subterrânea Que o meu sorriso Se empenhou Em aniquilar. Eu nunca fui vítima de nada Mesmo quando me afoguei Por não saber nadar. Eu escolhi o mergulho E corri o risco De vivenciar minhas emoções Em alto mar. Trago na alma Alegrias decorrentes De uma parca memória. Tenho um passado pesado Mas reescrevi minha história. Trago no peito Apenas amor, gratidão. A vida me ensinou Que sobreviver à derrota É uma grande vitória: Superação. Marla de Queiroz

Read More »

Plural

Não me compreendem. Principalmente ele: “Como pode um ser tão singular interessar-se sempre pelos plurais?”, pergunta. Mas tenho me sentido em paz. Não sofro por amor, apenas sinto. As saudades não me machucam. Traições são irrelevantes, prezo pela lealdade. Desinteressam-me as relações convencionais. Minhas paixões continuam extremadas e temperando meu comportamento, mas tenho experienciado solitariamente meus estados. Temo fazer mal ao Outro com minhas hipérboles e, ao mesmo tempo, sei quão meu é todo este processo. R. me acha paradoxalmente sensível, mas desalmada. Explico que procuro dar aquilo que preciso, não o que querem de mim. E desejam minha alma, …

Read More »

Mantra

Eu me torno emocionalmente saudável quando consigo desconstruir todas as tolices sobre amores salva-vidas e jogar a ideia surreal do príncipe encantado no lixo. Eu me torno emocionalmente saudável quando acredito que namorar deve ser leve mesmo quando intenso, e divertido mesmo quando há um sério comprometimento. Eu me torno emocionalmente saudável quando o que me ocupa é a minha vida e não a reação que tenho ao comportamento alheio. Eu me torno emocionalmente saudável quando percebo que determinada história não me abrange, me deixa inadequada, fere a minha autoestima e sinto que isto é o suficiente para eu tentar …

Read More »

Sobre o Abandono

Frequenta o abandono quem vive um quase namoro, fantasia reciprocidade, aceita abraço frouxo, conversa sem olho no olho, ausência de carícia. Frequenta o abandono quem chama a rejeição de saudade, implora por qualquer fiapo de atenção, enfeita sua própria desvantagem. Frequenta o abandono quem vê na recusa uma possibilidade de mudança ignorando os sinais óbvios da distância. Frequenta o abandono quem não reconhece que ser bem tratada não é um mérito, mas uma condição e segue chamando migalhas de banquete. Frequenta o abandono com assiduidade quem se contenta com tão pouco que o Outro para mantê-la descobre que pode dar …

Read More »

Meio Assim

Então tem essa coisa de Roberto Carlos sempre nas minhas aflições de fim de tarde. Passo o dia gargalhando e depois uma saudade de qualquer coisa me agarra. E o tom melancólico do momento-mergulho-o-que-estou-fazendo-da-minha-própria-existência. Percebo: minha nau é frágil. Todo discurso do tá-tudo-bem-sempre-ou-nem-tá-tão-bom-mas-vai-melhorar-logo, cadê? Minhas angústias já não cabem numa “hashtag”. Então tem a música, tanta coisa pra ler e escrever e um monte de gente legal pra abraçar. Mas por que essa tarde em fiapinhos de agonia na garganta? E as noites balbuciando suas imensidões de todos-os-travesseiros-só-pra-mim desatando vontades de choros que eu meu recuso a adjetivar. Então tá …

Read More »

Elogio A Dor

Que possam se doer em paz os que sofrem: por angústias existenciais, desamor ou qualquer coisa que pareça banal. Que possam, simplesmente, silenciar e não sorrir naquele dia. Que possam entrar em contato profundo com o trecho machucado de sua vida, com a garganta magoada pelo choro engolido, com a vontade da desistência. E que, a partir disto, possam qualquer coisa, inclusive decidir o que fazer com isso: pode ser que tanto, pode ser que nada. Mas, sobretudo, que percebam a não obrigação de cumprir o imperativo milenar do “reaja, melhore esta cara, vamos viver!”, pois a vida é esta …

Read More »

Bloqueada Do Facebook

Tentaram calar a minha voz porque expus o coração que batia em meu peito. Porque eu tenho um corpo funcional e agrego minha poesia a ele. Amordaçaram a poeta que tirou a roupa, mas minha nudez está nas minhas palavras. O recalque e a falta de coragem de alguns não me tira a liberdade. O facebook é só mais um lugar. Eu não preciso estar aqui para continuar escrevendo. Não foi uma foto nua que incomodou, foi a minha tranquilidade e a minha ousadia. Um corpo bonito é um corpo que respira. Fui bloqueada por não sei quanto tempo e …

Read More »

Todos Os Sentidos

As frases estavam arrepiadas por causa do assunto. E nada tinha sido dito ainda, só pensado. Se bem que a voz do olhar sensual, quando sussurrante, desamarra qualquer diálogo indecente: e apenas o cenário vestia os personagens. Era o suficiente. E o suficiente é tão preciso. Foi quando a fala desatou nas palavras: úmidas de língua. E a voz do olhar emudeceu: fechados os olhos. Tato, olfato, paladar no ato. Tudo refazia todos os sentidos. Era sentimento derramando. Era tanto pra tudo que é lado. Marla de Queiroz

Read More »

Otimismo X Pessimismo

Ocasionalmente eu reflito sobre o que leva uma pessoa a ser pessimista. Penso que talvez seja uma posição confortável, por mais aflita que me pareça. Esperar o pior porque “se acontecer o melhor será lucro”, é a justificativa de muitos. Eu escolhi o otimismo e nunca fui desamparada por ele. Mas ser otimista dá trabalho pra caramba. Todo dia você atrai gente de luz, experiências divinas e uma rasteira. Todo dia um abraço amoroso e um tombo de gente que nem se esperava. O otimista nunca espera pelo pior e, quando ele vem, ele respira fundo, retoma o fiapinho de …

Read More »

Deixa Em Paz O Meu Caos

Eu não consigo mais acomodar você dentro de mim depois da pasmaceira de tempo perdido, de jogo barato, de sedução cheia de recato. A mesma atitude de todos eles, todos os que eu não quis porque provavelmente não iam me querer por muito tempo. Não fiquei com raiva porque eu não tenho espaço o suficiente aqui dentro para ter raiva de muitas coisas e, naquele momento, eu tava com irritada com algo que segurou meu foco. Mas eu senti uma preguiça profunda quando te vi ali, plantado embaixo da minha janela fazendo pose de ciumento arrependido. Fazendo cara de marido …

Read More »

Certas Tristezas

Certas tristezas doem mais porque vêm com uma delicadeza infinita. É como se, no lugar do grito, apenas o seu peito espremido, mas mudo. O choro não é contido, mas a voz embargada. A lágrima fica presa na sua expressão e os olhos lânguidos, meio adoecidos, uma beleza de fragilidade na feição. Certas tristezas são muito discretas. Seus hematomas são familiares, suas fraturas não são expostas. E, de tão explícitas, pouco se mostram. Você fica melancólica, distante, quase indiferente ao resto de tudo. Você sabe que vai passar, mas naquele momento não acredita: de tão inapetente, apenas contempla sem saborear …

Read More »

Mudanças

MUDANÇAS Desta vez eu sigo, mas não sem olhar para trás. Encaixoto minhas coisas, tantos livros, tantos sentimentos, tantas roupas, tantas sensações, tantos papéis, tanta saudade. De abstrato, cada detalhe dos movimentos letárgicos de uma gata inquieta, ardida e amorosa: Mafalda com seu coraçãozinho na boca. Não pertenço mais a esta casa. Desta vez eu sigo, sem olhar para trás para um novo desafio profissional. Alguma coisa em mim clama por mais aprendizado, posto que o que aprendi já dominei. E ainda há tanto espaço para o que não sei. Mas guardo os amigos que fiz, os que foram e …

Read More »

Sobre Paradoxos

A dor é brutal simplesmente porque a situação é delicadíssima. É um paradoxo adoecer de saudade por se desvencilhar de alguém para tentar se manter emocionalmente saudável. As histórias se compõem com projeções demais e muito do que somos fica lá com o Outro. E, geralmente, o nosso lado mais bonito. Não que faltasse Beleza naquele alguém que agora virou apenas a inicial de um nome que evitamos pronunciar, mas as condições de temperatura e pressão foram ingratas. A disposição para os ajustes necessários foi insuficiente. Poderia se dizer que havia ali um relacionamento preguiçoso, como um dia que não …

Read More »

A Desocupação Do Teu Abraço

Quanto se poderia dizer que teríamos para viver além do que tivemos? Eu te perdoei e fui embora e você questionou minha atitude. Mas eu precisava ir para perdoar também a mim. Eu não podia mais esperar que algo bom acontecesse depois de uma sucessão de breus. E talvez o medo desta escuridão fosse mais factual que o meu amor. E por te perdoar, não te levei comigo, entende? Não houve uma desistência, mas a escolha de um caminho outro: neste que, agora eu sei, seus passos não admitiriam trilhar. Por isso a desocupação do teu abraço: deixei ali o …

Read More »

Depressão: Um Assunto Muito Serio

Depressão não é tristeza, melancolia, desânimo, mal-estar. É tudo isso junto e uma profunda dor causada pela falta de perspectiva de que algo de bom vai acontecer e melhorar nossas vidas. Depressão é mais comum do que se imagina e tem tratamento. Não adianta dizer a um deprimido para reagir, sair da cama, sair das drogas, fazer algo para se sentir feliz. Estas pessoas precisam de ajuda profissional e, se possível, espiritual para controlar este processo de faltas: de hormônios que provocam prazer e tornam a vida produtiva e sociável, de uma sensação de amparo e proteção espiritual. Eu tenho …

Read More »

Sobre a Perversidade

O perigo da perversidade é que ela é muito sutil. Um ser perverso jamais te atacará diretamente. Ele vai saborear cada silêncio calculado para despertar sua agonia. Ele vai tentar tolher seus lugares íntimos até que não reste qualquer espaço para manobras. Ele vai te seduzir da maneira mais irresistível e depois te tratar com um descaso inexplicável, como se algo de errado tivesse acontecido, mas sem te dar quaisquer indícios do que possa ter acontecido. Ele será carismático com os outros, prestativo, mas demonstrará impaciência em responder à sua mais simples pergunta. Ele vai oscilar entre o tesão e …

Read More »

O que restou

Então, tá tudo aí: um coração restou acelerado e desobediente, desaforado, inconveniente. Não se pode sistematizar sentimentos ou banalizar emoções: nele tudo está em sintonia com a hipérbole maciça e, para qualquer paixão inclemente, ele não sente a menor preguiça: se enrosca no osso da emoção, rói a carne, range os dentes, urra noturna e diariamente. Este coração está desgovernado, não se pode negociar um trecho de cuidado, uma brecha de precaução. Tudo o que ele abraça é barulho, imagem turva, ventania, comoção. Tá tudo aí: o ruído que você deixou e um resto de trecos atirados pelo chão. Tudo …

Read More »

Das Desvantagens Da (Minha) Vida Sexual De Escritora

As mais recorrentes: O cara espera que, depois do sexo, você escreva sobre o desempenho dele. O cara teme que, depois do sexo, você escreva sobre o desempenho dele. O cara morre de medo que, depois do sexo, você não se manifeste de maneira alguma sobre o desempenho dele. O cara sente calafrios ao imaginar que, depois do sexo, você escreva sobre o desempenho de alguém que considerou ser melhor que ele. O cara tem certeza que, qualquer poema erótico seu é uma alusão ao sexo que vocês fizeram ou um convite para. O cara até te deseja, mas acha …

Read More »